terça-feira, 28 de julho de 2015

Pronatec: como aproveitar melhor e mudar de vida

Todos os anos milhares de jovens entram no mercado de trabalho em busca de uma vaga. A disputa é muito acirrada e a qualificação acaba sendo determinante para a escolha de um candidato.

O Pronatec, segundo o próprio Ministério da Educação, tem como objetivo tornar os cursos técnicos e profissionalizantes mais acessíveis a quem realmente precisa. O governo deseja, de fato, democratizar o acesso a este tipo de ensino. E como fazem isso? Aumentando o número de vagas, ampliando as instituições país afora e por meio de bolsa de estudos aos interessados.
É realmente uma excelente iniciativa para quem deseja entrar no mercado de trabalho com algum diferencial. Aqui nesse texto, a gente explica um pouquinho de como funciona o Pronatec. É apenas um ponto de partida, mas certamente vai ajudar na sua jornada. Vamos lá?




Quem pode fazer o Pronatec?


Todo e qualquer brasileiro com ensino médio completo(você vai ver mais abaixo que existem alguns casos que não é necessário ter concluído o Ensino Médio) pode se inscrever para uma das vagas oferecidas pelo Pronatec, porém, de uma maneira geral, ou como critério de desempate, o Pronatec dará prioridade para alunos que tenham cursado o ensino médio na rede pública ou como bolsista integral na rede privada. Para ser mais exato, segundo o que determina a lei: os estudantes do ensino médio da rede pública, inclusive da educação de jovens e adultos; trabalhadores; beneficiários dos programas federais de transferência de renda(bolsa família); e estudantes que tenham cursado o ensino médio completo em escola da rede pública ou em instituições privadas na condição de bolsista integral.


Como se inscrever para o Pronatec?


Uma das características do programa é que existem várias frentes de atuação. Exatamente por isso, não há um sistema unificado de inscrições, portanto é preciso ficar atento: as novas vagas serão abertas em escolas públicas estaduais, nos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia e nos Serviços Nacionais de Aprendizagem - como o SENAI e o SENAC. Cada uma das instituições tem autonomia própria para criar os seus critérios de inscrições e seleção de participantes no Pronatec. Quer ficar por dentro de quando as inscrições estarão abertas na sua região? Procure informações na secretaria de educação do seu estado, na rede estadual de educação, nos institutos federais ou nas unidades dos serviços nacionais de aprendizagem. Não perca uma oportunidade por não estar bem informado ;).

Curso técnico ou superior? O que é melhor para mim?


O Pronatec é um ensino técnico. Mas é normal nessa fase da vida você está cheio de dúvidas sobre o que fazer, se encara a faculdade no ensino superior ou se cai matando num curso técnico. A resposta para essa questão depende muito dos seus objetivos.
O curso técnico tem como principal objetivo capacitar o estudante para atuar no setor produtivo, com um ensino focado e rápido. É no curso técnico que você vai focar essencialmente nos conhecimentos práticos, pois ele destaca em sua grade de ensino atividades diárias inerentes à área de atuação. A ideia do curso técnico é colocar o candidato pronto para o emprego o mais rapidamente possível. Ao concluir um curso técnico, o estudante está imediatamente apto a preencher uma vaga no mercado. imediato ao mercado de trabalho.
Já o ensino superior tem uma base mais consistente referente à teoria, sendo muito mais focado em princípios científicos e tecnológicos próprios, com ênfase em determinado ramo de atividade, exatamente por isso, o curso superior tem uma carga horária maior, tornando-o mais longo do que qualquer curso técnico. Como falamos anteriormente, vai depender dos seus objetivos escolher entre um ou outro. Por isso é muito importante que você saiba o que quer, pois se fizer uma escolha errada neste momento, pode perder muito tempo em sua jornada profissional.


O que exatamente vou encontrar no Pronatec?


Você já decidiu o que vai fazer. Ótimo! Existem três possibilidades e a escolha vai depender do seu nível de escolaridade e renda. São eles:
Estudantes que concluíram o ensino médio: São os chamados cursos técnicos subsequentes. Com duração de ao menos um ano, só pode ser feito exclusivamente por quem já terminou o ensino médio. Fique atento, pois alguns exigem que o candidato tenha feito o Enem.
Estudantes que ainda estão fazendo o ensino médio: São os conhecidos como cursos concomitantes. É preciso estar matriculado no ensino médio e, ao mesmo tempo que conclui seus estudos, pode fazer o curso técnico . Esses cursos também têm duração de ao menos um ano.
Qualificação Profissional: Também chamados de Formação Inicial e Continuada (FIC). Na verdade é uma oportunidade do Pronatec para os beneficiários de programas federais de transferência de renda, o Bolsa Família e o Seguro Desemprego. Esses cursos são mais curtos e podem durar apenas dois meses. A maioria deles exige apenas o ensino fundamental completo.

Falta de experiência. O Pronatec pode ajudar.


A falta de experiência é um dos maiores entraves para os mais jovens quando buscam uma vaga, porém, como os cursos são técnicos e profissionalizantes, muitos deles tem a oportunidade de vivenciar o dia a dia da profissão ainda na escola. Desta forma, todos são beneficiados: os jovens que conseguem a prática numa profissão e as empresas que recebem esse trabalhador ainda mais preparado para exercer suas funções.
Como você pode ver, são inúmeras as possibilidades. Agarre aquela que mais te a ver com você um boa sorte!

Nenhum comentário:

Postar um comentário